in

Ministério da Saúde lança campanha para evitar Infecções Sexualmente Transmissíveis no Brasil

A preocupação do HIV entre jovens, o aumento da sífilis e a contínua transmissão das hepatites. Esses são indicadores que revelam que o comportamento de risco, principalmente dos jovens, vem impedindo o país de avançar no combate às infecções sexualmente transmissíveis. Então, para incentivar o uso da camisinha e informar os jovens sobre os riscos e consequências de contrair uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lançou a campanha “usar camisinha é uma responsa de todos”. As chamadas ISTs, aumentam em até 18 vezes a chance de infecção pelo HIV/Aids.

Isso porque as infecções sexualmente transmissíveis geralmente causam lesões nos órgãos genitais, o que aumenta a vulnerabilidade para a pessoa adquirir o HIV, por meio do contato com secreções e sangue. Por isso, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deixa um recado para os jovens.

“O HIV é sim um grande problema que a gente costuma falar ‘olha a conversem sobre HIV, conversem sobre essas doenças aí’, não só com família, mas com amigos, procura se informar. Não embarca nessa, de que o ‘HIV não tem nada a ver, você toma remédio’. Teve um que falou para mim e disse ‘a carga viral cai’ porque olha lá no doutor Google e fala ‘Opa, a carga viral cai’. A gente ainda sonha com uma vacina, aí sim você ter o sistema imunológico e a gente enfrentar esse vírus, mas hoje ele é só remédio e controle diretasso. Se vacilar no controle o adoecimento é grave”.

As infecções transmitidas por relação sexual são causadas por dezenas de vírus e bactérias durante o contato sexual, sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada. A camisinha, distribuída gratuitamente nas unidades de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), é a forma mais simples e eficaz de se proteger não só do HIV/Aids, mas também da sífilis, da gonorreia, de hepatites virais e até do zika vírus, além de evitar uma gravidez não planejada. Por isso, a importância de reforçar constantemente a necessidade de proteção, incentivando o uso de camisinha, diariamente e não apenas durante o Carnaval ou festas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cresce em 32% número de feminicídios na Bahia, diz SSP

Governo federal quer usar Fundeb para privatizar creches