in

Carga com 159 respiradores mecânicos chega ao Aeroporto de Salvador

Os 159 respiradores de fabricação nacional, que foram comprados pelo Governo do Estado da Bahia, chegaram no início da noite desta quarta-feira (20) ao Aeroporto de Salvador e foram encaminhados para um depósito para posterior esterilização. O governador Rui Costa acompanhou o desembarque dos equipamentos presencialmente.

“O governo do estado está recebendo hoje, quarta-feira, 159 respiradores mecânicos. Eles serão distribuídos entre as unidades de saúde da capital e do interior. São aparelhos fabricados no Brasil, em uma empresa no Rio Grande do Sul, em uma empresa chamada Lastung. É um equipamento de ventilação que tem a capacidade de ventilar todo tipo de paciente de coronavírus”, disse o secretário Fábio Vilas-Boas.

“Também serve para transportar pacientes de uma unidade hospitalar para outra e ventilar adultos e crianças. O investimento foi de mais de R$ 3,5 milhões. Está vindo por um transporte aéreo fretado do aeroporto de Navegantes para Salvador. Amanhã vamos esterilizar as peças e, na sequência, distribuir para que, na noite de quinta-feira, já estejam em funcionamento”, contou.

Segundo o governo, outros 110 respiradores, também de fabricação nacional, devem chegar nos próximos dias. A previsão é que 350 equipamentos cheguem da Inglaterra na próxima semana.

“Temos outras aquisições em andamento. Duas aquisições feitas pelo governo do estado e pela federação das indústrias, totalizando 110 respiradores, chegarão da China. Outra aquisição virá da Inglaterra no começo da próxima semana, respiradores alemães da marca Drager. Sobre monitores, recebemos ontem 100 que já foram distribuídos nos hospitais e temos mais 200 para serem entregues até o dia 10 de junho”, explicou o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rui Costa fala de ações contra a Covid-19 e garante recuperação da UPA de Morro do Chapéu

Ministro fala em prorrogar o auxílio emergencial, “mas R$ 600 não dá. Se for R$ 200 a gente banca”, disse