in

Organização Mundial da Saúde nega que mutação do novo coronavírus seja mais letal que anterior

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou na última segunda-feira (21) que a mutação do Sars-Cov-2, vírus que provoca a Covid-19, era esperada e, diferentemente do que tem se acreditado, não é mais letal que a anterior.

A nova mutação foi anunciada no último sábado (19) pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. De acordo com ele, a versão pode ser até 70% mais transmissível.

Segundo o UOL, Adhamon garantiu que a OMS está trabalhando em conjunto com os países para entender como as modificações afetam a população. Durante coletiva de imprensa, o diretor-geral disse também que a vacinação não pode ser usada como desculpa para que todos deixem de tomar cuidados.

“Este ano foi muito difícil para todos nós, mas para os profissionais de saúde, foi muito mais difícil. Neste momento do ano em que muita gente está comemorando, o maior presente que líderes e população podem dar aos profissionais é ter cuidado”, declarou.

Tedros Adhanom finalizou sua fala reforçando que o vírus é capaz de infectar pessoas de todas as faixas etárias e ainda há necessidade de manter o distanciamento social: “Agora é momento de transformar compromisso político em ação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Forças policiais poderão agir com ‘máximo rigor’ para impedir festas de fim de ano, diz Rui Costa

Governadores do Nordeste pedem suspensão imediata de voos do Reino Unido